Cama Patente – um marco do desenho industrial no Brasil

Quem não conhece a cama patente? Pode ser que você não esteja ligando o nome ao objeto. Muita gente já viu, tocou ou dormiu numa dessas maravilhas brasileiras.

Toda novela de época que se preze ou ainda, qualquer filme que tenha como cenário, ambientes simples ou que se passe no interior do Brasil acaba se valendo dela como objeto cênico.

A cama patente é um verdadeiro marco do design brasileiro ou, como acho que cabe melhor para o caso, do desenho industrial brasileiro.

Como todo bom projeto de design partiu de um conjunto de fatores presentes: a necessidade de criar uma alternativa a produto importado, os meios de produção disponíveis e a racionalização da produção.

O ano foi 1915, o lugar foi Araraquara, no interior paulista, seu criador um imigrante espanhol que conhecia a arte da marcenaria, Celso Martínez Carrera.

A cama patente se baseava nas formas simples de camas de ferro de uso hospitalar que o “designer” Celso Carrera soube com maestria fazer a “releitura” para os meios disponíveis de produção.

A história diz que esse produto fora criado por conta das dificuldades de acesso às camas importadas da Inglaterra por conta da primeira guerra mundial que ocorria na Europa. Celso Martínez Carrera era marceneiro e trabalhava na Estrada de Ferro em Araraquara, quando viu a oportunidade aparecer. Coisa de designer!

A cama patente era uma tremenda solução: simples, modular, fácil de fabricar, barata e ainda “comunicava” muito bem com o modernismo e o “art déco”, bem ao gosto da época.

Estava tudo ali: Forma e Função e a linguagem geométrica tão “moderna” do déco. E tudo isso por um preço acessível.

Outro personagem dessa história foi Luiz Liscio, imigrante italiano que foi responsável pela industrialização do produto.

Com certeza foi uma grande revolução social no mobiliário das casas brasileiras, ao torná-lo acessível pela produção industrial e pelo preço baixo.

Pois a Cama Patente é tema de uma exposição que ocorre no SESC Araraquara até o dia 2 de outubro. A mostra “Cama Patente: memória e imaginário”, com a curadoria de Maria Angélica Santi, parceira de longa data da ADP no tema design de mobiliário, resgata essa história a partir de documentos,  fotos e 19 peças originais.

Vale a pena conferir.

Carlos Scheliga

SESC Araraquara

Rua Castro Alves 1315 – Araraquara – SP

Tel: (16) 3301-7513

Até 02 de Outubro de 2011

Terça a sexta, das 13h30 às 21h30;

Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h.

Sobre Associação dos Designers de Produto

A Associação de Designers de Produto - ADP é uma sociedade civil sem fins lucrativos, de caráter cultural e de âmbito nacional, que tem o objetivo de aproximar os profissionais, estudantes, instituições e empresas atuantes na área, com a finalidade de desenvolver, promover, divulgar, regulamentar e apoiar a atividade do design no Brasil. Fundada no dia 5 de novembro de 2002 - Dia do Design, a aDP tem o desafio de representar os designers de produto junto à sociedade e instituições para promover o design brasileiro. A ADP promove discussões, seminários, workshops, exposições, palestras, concursos e cursos complementares além de editar publicações impressas e eletrônicas para atualizar e informar o profissional de design e a sociedade.
Esse post foi publicado em Uncategorized e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s